One contribution from MODSCAPES case studies and researchers has been done at the International Congress of Cultural Heritage and Artistic Intervention (CIPCIA)

Leiria, Portugal: Escola Superior de Educação e Ciências Sociais do Instituto Politécnico, October 26-27th 2017

Sara Mónico Lopes, IPLeiria; Joana Couto, Miguel Moreira Pinto, CEAA-ESAP

Milagres e a Colonização Interna em Portugal [Milagres and the Internal Colonization at Portugal]

The contribution of MODSCAPES team members was prepared in collaboration with a external researcher, author of a Master thesis on Milagres colony (Leiria, Portugal).

Abstract / resumo:

As políticas de colonização interna tiveram um papel fundamental na afirmação dos Estados e na transformação dos espaços rurais.

Em Portugal, a colonização, em terrenos baldios e incultos, teve como objetivos incrementar a produção agrícola, travar a proletarização e incentivar a pequena agricultura familiar. Embora venha a ser proposta no final do século XIX, a sua concretização só acontece a partir de 1926, com a instalação da Colónia Agrícola de Milagres, no concelho de Leiria.

As obras de colonização interna produziram novas paisagens que constituem hoje um património único, apesar de tudo pouco conhecido e divulgado. Com este artigo propomo-nos abordar o tema no contexto nacional e apresentar alguma pesquisa que tem sido desenvolvida no âmbito do projeto de investigação europeu: MODSCAPES, Modernist Reinventions of the Rural Landscape.

São nossos objectivos contextualizar a temática da colonização interna realizada no quadro político-ideológico do Estado Novo, apresentar alguma investigação feita sobre as colónias agrícolas – designadamente sobre o caso de Milagres, e mostrar a importância destas paisagens agrárias enquanto elementos do património cultural dos Estados.

Em termos metodológicos, a pesquisa fundamenta-se na análise documental, em informação recolhida em arquivos e teses produzidas no contexto académico.

As nossas conclusões preliminares não deixam de ter em conta a escala modesta da ação colonizadora empreendida pelo Estado português se comparada, por exemplo, com o que sucedeu em Espanha e Itália. Muito aquém do inicialmente previsto e desejado, a construção de apenas 7 colónias agrícolas não pode ser vista senão como um processo de experimentação e ensaio, mas que acabou por nos deixar um legado material e imaterial importante do ponto de vista paisagístico, do ponto de vista cultural e identitário, do ponto de vista da formação de uma estrutura tecnocrática e de uma agenda científica nacional, promotora de novos saberes e conhecimento.

Full-text published as: Sara Mónico Lopes, Joana Couto, Miguel Moreira Pinto, 2017. “Milagres e a Colonização Interna em Portugal [Milagres and the Internal Colonization at Portugal]”, in: Fernando Magalhães, Jenny Sousa, Maria de São Pedro Lopes (eds.), Reflexões sobre Património Cultural / Reflections on Cultural Heritage, Cics-Nova (Pólo de Leiria); Escola Superior de Educação e Ciências Sociais – ESECS / Instituto Politécnico de Leiria – IPLeiria: 107-123. Retrieved from: http://sites.ipleiria.pt/cipc2017/pt/livro-reflexoes-sobre-patrimonio-cultural/ [available on 1 May 2019].